Total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

  ABORIGENE GRAÇAS A DEUS

Aprendi a levantar-me
Aprendendo a cair
E para manter-me em forma
Resolvi não ter nem uma norma
 
Quem achar
Que sou
Um aborígene doente
Nem ligo
Total é o que sou afinal
Um louco, um feliz anormal
 
Agradeço por minhas carências
E fico debatendo com minha consciência
Sou esta bola que salta e rola
Cachorro em circulo
Tentando morder a cola
 
Como uma palavra mal interpretada
Um  grito
Tentando  atingir o eco do nada
O louco da ultima parada
Tentando baixar
Sem ter subido na escada
 
      (Orides Siqueira)

Um comentário:

Cristina disse...

Siempre es grato leer tus letras mi querido Orides, hay mucha sabiduría e tu poesía.
Te dejo un fuerte abrazo.