Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de maio de 2014

CRIANÇA DE RUA
A sombra
De um corpo que não existe
O eco de um grito mudo 
Em uma garganta sem força
Forjada em uma silhueta de sombras

Vagueando no espaço
Fingindo existir
Insistem em chamar-lhe
Criança
E ela insiste
Em ser a esperança do incerto

(Orides Siqueira)

Um comentário:

Rosangela Abreu disse...

** Maravilhoso poeta!!! **