Total de visualizações de página

quarta-feira, 1 de agosto de 2012


GRITO DE LIBERDADE


Mais que qualquer canhão raivoso
Cavarei trincheiras para não me esconder
Acenderei fogos para não me aquecer
Lutarei com toda a minha garra

Por achar que ser honesto é acima de tudo um dever


Eu vou brigar sem piedade,

Dizer, gritar, impregnar  verdades
Sou liberto mas da hiprocresia quero a liberdade
Sem falar coisas futeis nem ferir integridades


Este meu grito de liberdade 

Alguns no comando chamam de Utopia

E eu com isso, não tou nem ai para a hiprocresia

Mimarei metáforas em cada verso

Até que o traidor coração ataque-me com alguma atrofia

  

         (Orides Siqueira)

Um comentário:

Malu disse...

Mimar as metáforas de cada verso... quer mais liberdade do que isso???
Belo poema.
Grande abraço!!!