Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de abril de 2011


AMANTE CALADO

Se em ti sou passado, ja esquecido
Em mim nada foi esquecido ou extinguido
Nem teu rosto,nem momentos
Menos teu belo olhar com aquele sentido

Como montanha dificil de escalar
Nesta disputa diaria do eu contra min
Sou este vaidoso irrevogável
Um insignificante inconsolavel

Lembro-me de teu halito e de teus habitos
O limite do ilimitado
Em atos ardentes de enamorado
Deste amante cansado e palido

Como um ladrão um saltibanco esfomeado
Que voa trazendo a presa a seu lado
Amo-te com a paixão posta em uso
Em meu sangrar de lagrimas

Nesta blasfemia de amor comovido
Amante louco ou um louco sem sentido
Brotando um malfadado nectar perfumado
Sem pedir nada sou este louco, amante, calado

(Orides Siqueira)

Um comentário: