Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de abril de 2013



   A ALMA CHOROU

Silencio
Que a alma chora
Perdida no amanhecer

Hoje á vi despenteada
Que alucinadamente chorava
Porque em seu leito conjugal
A noite cobriu de espinhos 
Aquela rosa branca
Que sem o orvalho se suicido
E virou matéria orgânica
Em adubo se transformou
 
É a alma chorando
Recolheu-se
Entre os sonhos e os anseios
E neste reino de sonhos onde habita o amor
Suas lagrimas viraram a mais bela flor
Uma rosa vermelha a transbordar sua cor
  
          (Orides Siqueira)

2 comentários:

Malu Silva disse...

As lágrimas da alma são sempre as mais poderosas...
Abraços e linda semana.

Nádia Santos disse...

Uma poesia linda e intensa. Um abraço poeta. Estou com saudade de suas visitas.

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras