Total de visualizações de página

sábado, 23 de fevereiro de 2013

CARTA À VIDA

Do meu viver
Eu te agradeço vida
Por nunca ter-me dado esperança falida
Nem trabalho injusto
Nem pena que não fosse merecida
 
Porque em todo meu caminho
Vi fome e gente sem teto
E tu vida, me permitiste
Que eu fosse meu próprio arquiteto
 
Se extraí mel
É porque nunca plantei fel
Quando plantei rosas, sempre colhi rosas
 
Se durante noites escuras chorei minhas penas
Não me acariciastes nem ficastes com pena
Me destes um futuro de noites serenas
 
Fui amado
E amei porque sei que é assim que se faz
Por isso minha querida vida juntos vivemos em paz
     
                                          (Orides Siqueira)

3 comentários:

Nádia Santos disse...

Belíssimo poeta, uma linda reflexão. Devemos sim agradecer a vida todos os dias por tudo, pois tudo que temos é por merecimento. Um abraço pra ti.

Dilmar Gomes disse...

Belo poema, amigo Orides. Ao lê-lo, lembrei-me de Mercedes Soza, cantando Gracias a la vida!
Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

Rosangela Abreu disse...

## Maravilhoso poeta! ##