Total de visualizações de página

domingo, 2 de dezembro de 2012

       NUM VELHO CAFÉ

Um café a moda antiga
Um disco de vinil
Roda uma musica do Toquinho e Vinicius
Na parede um poema do Mario Quintana
Uma foto desbotada das costas dum belo quadril
 
Enquanto delicio um arroz com leite
Surge uma musa para meu deleite
Chuva  na vidraça
Um mendigo que ligeiro passa
 
Uma loira divina
Bela mulher mais parece uma menina
Fico a imaginar um poema
Vôo na imaginação  em busca de uma bela rima
Um carro atrapalha o raciocínio com a  buzina
 
Novamente inicio o poema
Um chato intelectual me fala em teorema
Todo o café tem um chato
Este é o problema
 
Fico serio, saio sem pagar
Como diria o paisano
Que se jodan
Não me deixaram poetar
   
          (Orides Siqueira)

2 comentários:

Júllio Machado disse...

Muito ótimo.
Gostei demais da conta. (ótima inspiração)
Abraços, poeta!

Cristina disse...

Excelente post, me ubicó perfectamente en el sitio, un café... la musa.
Te dejo un fuerte abrazo, buen comienzo de semana!