Total de visualizações de página

domingo, 19 de junho de 2011


POETA

Um estranho incorporado no coração de muitos
Direto na cara o triste semblante
De um espaço em branco ou um raro viajante
Vive de sonhos este eterno pensante

Fechado em um mundo livre e aberto
Um homem simples, calado, quieto
Cada dia vislumbra um espetáculo na mente
Senhor das palavras, sábio e paciente

Silencioso,tímido cheio de duvidas
Quase envergonhado da inspiração
Expelindo em versos revelações
Um labirinto cheio de curvas

Sentindo os gritos da alma
Nesta agonia que acalma
Em travessias do amor
Acalmando o tempestuoso furor

Atravessando os segredos
De amar sem ter medo
Como um louco meio lúcido
É a imaginação carregando a realidade

Montado no espírito da vida
Ouvindo o culto do coração
Sendo fiador da esperança
Neste versejar que nos balança

Sem limites de espaço
Vivendo batalhas da vida sem tempo, nem cansaço
As vezes louco, outras palhaço
Vivendo nesta clausura dia a dia, passo a passo

(Orides Siqueira)