Total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

POBRE HOMEM VELHO

Quando
O cair das folhas
Se faz eterno
Ele segue sentado
No banco da realidade
 
Com um copo
De aguardente difícil de tragar
Em um silencio que mais parece um soluçar
   
Gesticula algo proibido
Enquanto o alcool oculta a dor
Sorri sozinho
Soluça e da risada
 
Sua voz é um sussurro
Conhecedor das verdades universais
Engole sentenças existenciais
E esconde com sua vasta experiência
O vazio de sua existência
  

        (Orides Siqueira)

2 comentários:

Rosangela Abreu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosangela Abreu disse...

## POETA VOCÊ DÁ SHOW! ##