Total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de outubro de 2011




HOMEM
SUBESPÉCIE HUMANA


Temos delírios de grandeza
Enganamos pensamentos e sentimentos
Cozinhamos amarguras
Tornamo-nos tristes figuras

Dançamos com o silencio
Fechamos portas com gritos
Vivemos mecanicamente
Riscamos o amor da mente

Temos asas, mas um vazio no crânio
Somos subespécie do humano
Não conhecemos o dom de voltar
Temos de caminhar, andar e andar

Coração de pedra e dogmas
Ornamentamos energias
Não usamos a clarividência nos dias
Somos incógnitas desfilando disritmia

(Orides Siqueira)

2 comentários:

Reviragita Poesia disse...

Poema para Orídes:

Em alguns trechos do tempo,
algumas paradas de atrasos.
Deixar pra amanhã...
Talvez não dê tempo.

Cecília Fidelli.

Orides Siqueira disse...

Obrigado por tua visitya Ci beijão !!!