Total de visualizações de página

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011


POEMA DE UM LOUCO

Como um cão vira-lata
Nunca entro em reuniões de lobos
Todo castelo tem uma corja de bobos
Mas louco não tem medo de bravata

Nesta louca visão, nada tem fim
Eu não olho luzes, elas que olham pra mim
Dos seios da mãe derramam fundamentos
Subsidiando filhos sedentos

Como um louco no chuveiro quente
Ou um bêbado fraco e descrente
Escaldando
Este pobre infesto e demente

Minha visão invoca o paraíso
E entre olhares morro de risos
Feliz é quem tem a loucura da verdade
Sempre é festa, vive em eterna felicidade

(Orides Siqueira)

5 comentários:

Lucia Czer disse...

Passando por aqui para dar uma espiadinha... Lindo espaço, beleza de poesias. Grande abraço

Paulinho Dhi Andrade disse...

(Como um cão vira-lata
Nunca entro em reuniões de lobos
Todo castelo tem uma corja de bobos
Mas louco não tem medo de bravata...)

Eitá que isso é verdade mesmo!
Rsrsrsrs...
Parabéns amigão.

JURACI disse...

QUE BUENO PODER ESTAR AQUI CONTEMPLANDO ESA MARAVILHA, ME GUSTA MUCHO, PODER SEGUIR-TE POR LOS CAMIÑOS ENIGMATICOS VIRTUALES, QUE NOS ENCANTAN E FACINA, BESOS DA JU

Reviragita Poesia disse...

Gosto muito do seu trabalho, Orides.
Sou sua fã.
Cecília Fidelli

celyo oliver disse...

Parabéns, "Ourides", tu vale ouro, rapaz...tu escreves muito..e muito bem! és bom demais nas artes que tu faz! Játo teseguindo, tche! e já, te add aos meus blogs favoritos...se quiser me visitar no recanto das letras é só chegar lá pra ler algumas loucuras minhas também, kk serás benvindo! um grande abraço!