Total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de julho de 2010


VIVO PORQUE VIVO

Erro as vezes quando quero ser fraterno
Mais sempre acerto no que externo
Nunca preciso pedir perdão
Porque tenho meu próprio mata borrão
O que fiz já esta feito
Embora me aperte o peito
Em pensamentos libidos que hei de ter
Neste meu imoderado querer
E na minha teimosice reside
Porque no dia a dia vem a lide
No meu ontem quis ser o agora
Mas minha impetuosidade me devora
Meu pensamento incitativo
Vivo de recordações, mais vivo
Minha vida inveterada
Em uma loucura imoderada
Minhas mãos não escrevem nada
Por esta dor esta bloqueada
Ainda restam vigores
Por o fervor dos meus amores
Carregado por um peso fraternal
De um amor angelical
(Orides Siqueira)

2 comentários:

Janetinha disse...

Lindo poema!
Aqui tá um frio danado, não dá nem vontade de ficar na net.
Beijos.

Paola Vannucci disse...

Orides,

adorei ler sua verstilidade, sempre virei aqu mei amigo

beijos

Paola