Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de junho de 2012

 

O CIENTISTA E O POETA

 

O cosmos em renascimento

Enfia-se no cone da gravidade

A evolução da geometria

É premissa  de nova teoria

 

É a revelação de uma formula secreta

Que encanta aos cientistas

E traz desconfiança ao poeta

 

Ele quer  as imagens

As doces  caricias

O cientista as primícias

 

O universo no tempo zero

O nascimento do átomo

Natureza subjacente

 

O amor fraterno

O perfume da rosa

Um beijo ardente

Coisas que se vê e se sente

 

Que seria do mundo

Sem a ciência e a poesia existente

O poeta sonhador e o cientista  persistente

 

       (Orides Siqueira)

2 comentários:

JOSILDA disse...

Boa noite poeta........
acho que voce e um poeta e um cientista,pois esta sua inteligencia e uma ciencia viu? voce e um escolhido por DEUS. BJS.

Blog Lucia Barros disse...

Sempre perfeito seus poemas Orides
Parabéns