Total de visualizações de página

quinta-feira, 1 de setembro de 2011


UM SER SÓ

Uma pagina sem ninguém navegar
Pensar e repensar
Sofrer ou viver sem respirar
Uma atmosfera sem ar

Grande extensão sem cores
Um jardim sem flores
O aroma sem o vinho
Neste não viver, ou viver sozinho

Uma lagrima no vasto mar
Fôlego de gente cansada
Um não da pessoa amada
Oração mal rezada

Um joio no meio do trigo
Ninguém, sequer um amigo
Um ser sem liberdade
Uma interrogação,uma saudade

(Orides Siqueira)

2 comentários:

Luciah López disse...

Uma solidão imensa ronda a humanidade - o homem nunca esteve tão só e táo distante da sua origem. Parebéns pelo poema e pelo bolg. Abçs,

Luciah López


http://luciah-lopez.blogspot.com

Orides Siqueira disse...

Obrigado Luciah, você é muito gentil !!!